Arquivo da tag: comida

Um lanche no meio da tarde

um ingreditente determinante

Cheguei do centro, onde estou fazendo fisioterapia, azul de fome. Hoje foi mais um daqueles dias que entramos – eu e Anita – uma na dieta da outra de sopas e não dá pra chamar de almoço o que aconteceu entre meio dia e uma hora nesta residência.

Como a Av. Getúlio Vargas estava sem luz em função de algo que aconteceu enquanto eu tomava meus choquinhos no calcanhar direito, pressenti que meu prédio (numa transversal) poderia estar as escuras e eu não estava a fim de subir 12 andares a pé, ainda mais na minha condição de manca.

Desci um ponto antes e passei num mercado desses de gringo com açougue, na R. Botafogo. Pra minha surpresa, lá tem até carré de cordeiro. Peguei algumas carnes e vim pra casa, sem ‘estragar meu apetite’ com um doritosinho, como me é de praxe.

Felizmente tinha luz aqui. Subi, juntei as coisas que tinham voado e sequei o closet que tava semi-alagado. E aí, sim, fui pra cozinha, merecendo um sanduíche digno.

Salguei e pimentei um bife de contra-filé e fritei com nada de azeite numa frigideira de teflon. Em quanto isso tostei fatias de pão integral. Pão, bife, queijo brie e uma salsinha por cima. Coisa mais gostosa do mundo. Tente fazer em casa, é uma delícia!

Lanchonete, bar e restaurante

Ana Emília Cardoso.

Em outra encarnação eu tinha cnpj. E inscrição estadual. Só pode ser. E servia bolos, tortas, sanduíches, drinks e cafezinhos.

– Mãe, to com fome e sede.

– Como assim, não tem mais cerveja?

– Dona Ana, que horas sai o almoço? Vamos tomar um cafezinho?

Ou então, as amiguinhas de minha filha:

– Mãe da Anita, dá pra gente fazer um lanchinho? [Assim que entrou em minha casa, vinda de um restaurante onde a gente tinha acabado do almoçar].

– Ô, Anemilha
[a Lívia* me chama assim], você não ía fazer uma massinha? [Depois de comer iogurte, nuggets, chocolate, sucrilhos, bananas e outros]

E por aí vai.

Por que as pessoas olham pra mim e fazem o pedido antes mesmo de eu tirar o bloquinho e a caneta do bolso?

Talvez seja porque eu penso tanto em comida que isso acaba transparecendo aos outros. Acordo já pensando no almoço_ onde ou o que eu vou comer.

Meu lado feminista abomina isso, mas meu lado Dona Benta A-D-O-R-A!

Alguém aí quer uma batida? Acabei de fazer.

* A melhor amiga da Anita. Uma garotinha bem humorada que dá um dedo para não brigar e dois por um pratão de comida.

Tudo sobre alimentação saudável

Por Ana Emília

Na semana passada assisti a um programa muito educativo sobre alimentação na Globonews. No primeiro bloco uma mulher com 60 – corpo de 20 – cara de 40 mostra sua geladeira. Era um amontoado de tupperware com folhas e outros tantos pirex com gelatinas. A rotina dela é mais ou menos assim: acorda, coloca uma gota de geléia real [guardada no freezer dentro de um isoporzinho em forma de favo] embaixo da língua. Eu já vi essa tal geléia na vida real. Em Floripa tem uma geração que quer ser forever young e usa isso. Depois ela toma um copo de água com gotas de limão. Para limpar o organismo. Me lembrou uma propaganda de Veja limão, para desinfetar pisos e azulejos.

Depois ela pega uma centrífuga, bota várias folhas verdes, uma maçã [a melhor amiga do homem segundo um nutrólogo do mesmo programa] e faz um suco eca meleca. Próximo passo: liquidificar linhaça. Também já vi na vida real, minha amiga Nise sempre faz e isso a deixa ligada 220 o dia todo, segundo ela. Mistura as delícias: suco verde + gosma de linhaça.

Tá alimentada? Então mãos à obra que eu vou ensinar o restante da dieta! Pegue um saco de gelatina de alga asiática e prepare. É possível adicionar essa gelatina eca-meleca a tudo. Ela tomou pura de manhã, depois do suco e foi pro fogão fazer a sua papinha, opa, comidinha.

Separe 32 potinhos, 5 rãs, alho, cebola, azeite de oliva e uma boa dose da supra-citada gelatina. Refogue as rãs com pouco sal marinho, alho e cebola e cozinhe. Peneire (como eu nao sei, talvez a rã se desintegre durante o cozimento, humm, aconselho uma power panela de pressão), guarde nos potinhos e congele o que não for comer no dia. Talvez uns 3 potinhos a day sejam suficientes. A rã parece um franguinho, desses de borracha que se vende em casa de festa.

À essa altura você já perdeu a fome, né? Só pra finalizar, a gelatina sem gosto pode ser misturada a um suco orgânico de uva e vira uma... gelatina de uva! Para mostrar que era normal ela comeu castanhas, chocolate e disse que come carne, às vezes, e até toma umas canas, não com esses termos é claro.

Interessante, mas pouco aplicável. A segunda parte do programa eu gostei mais e aprendi uma série de coisas. Primeiro: temos que comer muito verde, em forma de folhas – pode ser qualquer uma, de preferência todas, e brócolis e couve-flor (que não é verde). Este é o segredo do sucesso, da longevidade, da saúde, da elegância e da pele bonita. Há que diga que brocólis dá gases. Repolho e couve também sofrem tal acusação. Pois bem, o nutrólogo explicou que não basta comer, tem que comer todo dia. Aí o organismo acostuma. Faz sentido. É a mesma coisa com as pessoas que pararam de comer carne… quando voltam, no começo, qualquer bifinho é um horror, dá dores estomacais, cólicas e não sei o que mais. Passa um mês, tá lá a pessoa entre uma picanha e uma costela feliz da vida. Nunca esteve melhor.

Voltando ao programa e saindo do campo das minhas teorias pessoais. Segunda coisa importante de se comer: raízes ou alimentos com amido. Cenoura, aipim, batata, abóbora, grãos. Só que aí mora um perigo. Se você é sedentário, esses alimentos viram açúcar e gordura. Se você pratica esportes, os teus músculos se abrem pro amido, que se transforma em proteína e em mais músculos ou em alimento para você viver, forte e saudável. Moral da história: se você já está bem, fica melhor, se está mal, tá perdido…

Terceiro grupo: frutas. São importantes porque têm vitaminas e muita fibra. Fibra vira cocô, quanto mais cocô, menos toxina no seu corpo. Faz sentido, também. A maçã é a melhor amiga do ser humano, porque é gostosa e têm muita casca, ou seja, muita fibra, ou seja, muito cocô.

O nutrólogo disse que não precisamos nos preocupar com venenos nas cascas, basta lavar bem os alimentos. Palmitos, pepinos e aspargos em conserva: atenção! abra o pote e deixe correr uma aguinha por cima do vidro sem tampa. Faz com que boa parte dos conservantes vá embora. Legal.

Estou escrevendo aqui porque achei útil mesmo, aprendi várias dicas e até me motivei a comer cada vez mais verduras. Sempre fui contra os vegetarianos, que são chatos, anêmicos, com aquelas caras de paisagem; mas gosto muito de me alimentar bem. Até porque eu amo comer, cozinhar, ir a mil feiras e aprender receitas.

Só ficou uma dúvida no programa pra mim: por que ele nem mencionou as carnes e as massas? Duvido que elas sejam dispensáveis. E as cervejas, então? Estou certa de que esse programa tem uma continuação, eles só esqueceram de anunciar.