A primeira coca-cola

Em 1947 meu pai tinha 8 anos e morava em Palmas, no sudoeste do Paraná. Um dia, em especial, marcou para sempre a sua infância, o dia que tomou a primeira coca-cola.

Ele conta que era a sensação na cidade. Até então, tanto ele quanto os outros palmenses só conheciam as gasosas e os guaranás, produzidos pelo seu avô, o camarista italiano Giacomo Mazalotti, de quem ele herdou o nome, Jacob Mazalotti.

No dia de sua crisma (a confirmação do batismo), o emocionado piccolino, que havia escolhido seu irmão mais velho Pedro Augusto como padrinho, foi à principal lanchonete/sorveteria da cidade para provar o tão comentado refrigerante. Pediram uma garrafinha de vidro para cada um e tomaram. Ele conta que nem gostou, achou até ruim, mas tomou tudo.

Muitos anos se passaram até a próxima garrafa. Adolescente, já estudante interno em Curitiba, Jacob voltou a provar o pardacentro líquido do capitalismo num sincretismo político. Passou a ser fã de Cuba, a bebida misturada com rum e uma rodela de limão. Médico formado, vivia uma contradição. Tornou-se um socialista viciado em coca-cola. Para ajudar na digestão, dizia ele.

Hoje em dia, resignado com a política, também passa longe dos refrigerantes. Só toma suco natural.

Anúncios

4 Respostas para “A primeira coca-cola

  1. o pardacento liquido do capitalismo num sincretismo politico, ganhei a manha!

  2. Como diriam os cubanos: Cuba libre.

    Cuba es el país, y Cuba libre el drink.

  3. Pingback: Fique por dentro Cocacola » Blog Archive » A primeira coca-cola « Casa de Anita

  4. Valderes Cardoso Arali

    Ana, procurando pelo sobrenome Mazalotti, encontrei seu blog e acabei reconhecendo os nomes e lendo as histórias que você postou, voltando à infância lembrando da vó Ema e do vô Hercílio.
    E também da história da Valderez, irmã caçula do meu pai, Pedro Augusto, que é seu tio e também padrinho do seu pai, coisa que eu não sabia.
    Adorei a história da coca-cola e da samambaia na sala do apartamento de Curitiba.
    Da sua prima Valderes (homenagem à tia que morreu menina).
    Abraço pro tio Jacob.
    Beijo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s