Uma pitada filosófica

Ana Emília Cardoso

Estou fazendo uma cadeira na pós-graduação do curso de Comunicação da UFRGS. A disciplina se chama Informação, cultura e cidadania e o professor, Valdir Morigi. As discussões estão mais próximas da Sociologia do que eu imaginava. Isto, porque sou mestre em Sociologia Política e estava com um certo receio de voltar à Comunicação.

Nas primeiras aulas lemos textos de Liszt Vieira e T.H. Marshall. O primeiro me lembrou muito Boaventura de Sousa Santos e o segundo é um clássico liberal [que defende o livre-comércio e a pouca intervenção do Estado na sociedade].

O grande diferencial desta disciplina em relação ao meu mestrado da UFSC é que toda aula o professor coloca alguma programa filosófico para inspirar o debate. Ontem o tema era O fim da amizade, o medo e a violência e a filósofa era a Olgária Matos (UNIFESP).

Eu saí da aula atordoada. Ela começou explicando que a palavra ética tem a sua origem em ‘ethos’, termo que apareceu pela primeira vez na literatura na Ilíada de Homero, no séc VIII a. c. e seu significado era de casa ou morada.

No séc. V, Aristóteles desenvolve os termos phillia e ethos. O primeiro representa a amizade e o segundo a trilogia caráter-justiça-concórdia. Ele também postulou que o sentido de pólis (cidade) era um lugar para se viver bem e cada vez melhor.

Prometo não ser complexa e nem ficar falando sobre os contratualistas (Hobbes, Locke e Rousseau). Para Aristóteles os homens optavam por morar juntos em uma comunidade (ou seja, fazer um contrato social) para que isso tornasse sua vida melhor. Logo na vida política da Grécia Antiga não havia lugar para violência ou corrupção pois as relações eram regidas pela ética.

‘Pela política nos humanizamos, pela amizade, nos divinizamos’ (La Boétie). Mais tarde, durante a Idade Média, o governante era temido pelo povo. Governar através do medo é justamente o contrário da amizade. O tirano é simétrico oposto da amizade.

Com o Iluminismo do séc. XVIII há uma retomada de esclarecimento sobre o que é ético e o que não é. O pensamento racional passa a encarar a difícil missão de combater o obscurantismo em busca da paz perpétua.

Ocorre que a ganância do Homem tem nos levado a tolerar o intolerável e aceitar como digna um política violenta e corrupta. Assim como não existe amizade onde há inveja, corrupção e violência, houve um completo esvaziamento do signo -política- pois todos os esforços civilizatórios se desfizeram.

Por fim, na modernidade tardia que em que vivemos, opera-se a sociedade do espetáculo. Houve uma completa substituição do espaço público pela imagem pública. Vivemos numa sociedade sem objetivos comuns, movida pela inveja e pelo consumo, associados à uma frustração permanente.

A sociedade tornou-se tão competitiva que não há espaço para amizade ou solidariedade. As pessoas perderam a capacidade de compreender a dor do outro, houve uma volatização da culpa.

Para fechar ela citou uma frase (não anotei o autor): Uma cidade operada pelo medo, não merece se chamar cidade. Deve se chamar Solidão.

Sai da aula muito deprimida pois é exatamente assim que eu enxergo as coisas.

Anúncios

2 Respostas para “Uma pitada filosófica

  1. Ana, e’ tao bom sair de aulas q nos fazem pensar sobre coisas q vao alem dos nossos proprios umbigos, nao e’? aproveite muito… e traga seus pensamentos pra ca. beijos

  2. Oh jardineira por que estás tão triste?
    Mas o que foi que te aconteceu?
    Foi a camélia que caiu do galho, deu dois suspiros e depois moreu…
    Vem jardineira, vem meu amor
    Não fiques triste que este mundo é todo seu
    Tu és muito mais bonita que a camélia que morreu

    Não sei se a letra tah certa, mas escrevi para vc se sentir melhor, miguxa

    Ainda bem que tem a internet, que vc escreve coisas como uma “message in a bottle” e aí quem acha a garrafa ainda tem o gosto de poder responder

    Não acho que seja todo mundo egoísta, mas acredito que podemos conservar nossas características que consideramos raízes, ou seja, recíproco respeito às individualidades e ainda sermos amigos, nem que seja pela internet

    A princípio, eu tava procurando pelo significado do termo “anamauê” e encontrei o link da tua página no google, se tu achares o significado manda pra mim, to precisando.

    ” Abri a janela, um sol diferente entrou, meus olhos mudaram eu sei, eu sei; ou foi o sol que mudou? ”
    rafaelcaminhante@yahoo.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s