A paranóia da pedofilia

Por Ana Emília Cardoso

É claro que eu, como toda mãe, sou uma paranóica e que, para mim, qualquer pessoa estranha ou não é um pedófilo em potencial até que se prove o contrário.[o que é meio impossível].

No último domingo fizemos uma festa junina aqui no meu prédio e ao invés de ficarmos nos auto-apavorando com causos de pedofilia, demos risadas umas das outras por causa das neuroses do dia-a-dia.

Pra mim, foi excelente confessar ao grupo que fiquei super encanada com uma situação muito bobinha que aconteceu outro dia. Um gurizinho veio aqui em casa. Somos vizinhos e eventualmente cuidamos dos filhos dos outros.

Quando eu estava lavando a louça (pra variar), o guri e a Anita quiseram fazer cocô. Pelo menos, dessa vez não foi no meio do jantar, o que é um milagre.

Eles foram para o banheiro e meu marido os limpou. Só ouvi os comentários de: ai, que fedor_ seu punzento, etc…

No dia seguinte, encontrei o pai do guri, que é médico, voltando da escolinha. Aí ele me perguntou se guri tinha feito cocô, porque estava constipado. Eu disse que sim. A conversa podia ter parado aí. Mas…

… ele perguntou COMO era o cocô.
Aí eu falei na boa que não tinha sido eu quem tinha limpado, então não sabia. Mas, depois, aquilo ficou martelando na minha cabeça. Será que eles vão achar mal que foi o meu marido e não eu que levei o filho deles no banheiro?

Felizmente não acharam. O fato é que várias mães estavam falando que às vezes brincam com jogos na cama quando tem amiguinhos dos filhos e depois ficam preocupadas: se eles contarem pros pais e ou pais entenderem errado?

Um outro pai aqui do prédio gosta de sacanear os amigos do filho (que tem 9 anos) e fala assim quando tem um grupinho que não o conhece: to indo fazer cocô, quem vai limpar a minha bunda?

Na real, é uma brincadeira meio esquisita, ams dentro do normal. Imagina se um guri conta pro pai – um gauchao de bombacha – e isso vira confusão?

Pelo que tenho visto nas reuniões da escolinhas, tem pais que não tem o menor bom senso e levam ao pé da letra tudo que os filhos falam. E o que é pior: não entendem que os filhos têm uma visão infantil do mundo e os interpretam como se fossem adultos.

Dia desses, o pai de uma coleguinha da Anita contou para o grande grupo que estava muito nervoso porque a garotinha tinha ganhado um chocolate de um colega no dia dos namorados. Ah, por favor, né? Ele queria trocar a guria de escola até…

** última dos papos de pedofilia: cuidado com recreacionistas de casa de festas**

Anúncios

Uma resposta para “A paranóia da pedofilia

  1. Lá na escolinha…tem um vendedor de livros infantis…muito suspeito…muito gosmento. Outra coisa é: deixar nossos filhos irem na casa de amiguinhos que tem pais muito mais velhos que a gente. Quase avós das crianças. Todos sabem que as coisas acontecem em casa…é…é paranôia mesmo. Mas…melhor prevenir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s