Passada a primeira doença fica fácil gostar do inverno

Por Ana Emília Cardoso

Não tenho escrito muito no blog porque a primeira onda de frio deste inverno trouxe consigo uma série de doenças pra minha casa.

Segunda saí pra correr no final da tarde ‘desagasalhada‘ como diz minha mãe. Aí peguei a Anita na escola e notei que ela estava com uma secreção (uma meleca amarela) em um olho.

De noite, saiu mais um pouquinho (de meleca). No dia seguinte ela acordou com o olho colado. Ai ai ai, conjuntivite é contagioso_ nem pensar em ir pra escola sem diagnóstico. Lá fui eu pra emergência do Hospital Moinhos de Vento de casaco, cachecol, bota, luvas e se duvidar até pijama por baixo…

Em meio ao clima fúnebre gerado pelo desaparecimento e queda do Air bus da Air France, aquele hospital gelado e uma pequena com os olhinhos vermelhos, comecei uma semana que custaria a terminar.

Sem escola até domingo. Essa foi a recomendação da médica. Será que foi praga dos pais que eu não convidei pro churrasco que fiz no final de semana anterior? Ah, cansei de convidar todo mundo. Agora é assim: só convido quem me convida ou os confirmados.

Na quinta quem amanheceu mal fui eu, com a garganta totalmente trancada. Tomei amoxicilina e nada. Na sexta, deixei a Anita na escola, sem qualquer sinal de meleca ou conjuntivite. Foi apenas um alarme falso.

Mas eu estava péssima e pela segunda vez esse ano, me dirigi à emergência do Mãe de Deus. Duas horas depois um médico, muito atencioso, me atendeu e receitou mais nimesulida.

De tarde eu já estava bem melhor. Que merda o inverno. O fato é que não sei se foi a melhora ou se as temperaturas subiram um pouco, mas agora já estou acostumada com o frio.

O inverno é como aquela história do bode. Esfria e você reclama. Aí você fica doente e segue reclamando. Quando melhora, já tá tudo ótimo e nem reclama mais do frio, consciente de que o que realmente importa é a saúde.

PS: A história do bode é a seguinte: na Rússia, dizia-se que muitas famílias, que eram ricas antes da Revolução Bolchevique, reclamavam por passarem a viver espremidas em pequenos cômodos. A solução encontrada por Stálin foi colocar um bode para viver com cada família. Aí sim elas reclamavam mais e mais. Passado um tempo, o bode era retirado e as pessoas paravam de reclamar, porque o pior já tinha passado.

Anúncios

Uma resposta para “Passada a primeira doença fica fácil gostar do inverno

  1. Viu só: “cças aprendem com o que vc faz e não com o que voce diz!” (Arthur da Távora)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s